Segundo o banco de investimentos Banca March, as empresas Alphabet, Amazon e Microsoft receberam intimações; valor das ações pode ser impactado

Os resultados financeiros de grandes empresas norte-americanas pode ser impactado por investigações de parceria com startups de inteligência artificial e os impactos disso na competitividade no mercado. O alerta é do banco de investimentos espanhol Banca March.

As gigantes da tecnologia se destacam: “Alphabet, Amazon e Microsoft receberam intimações para serem investigadas por suas parcerias com startups de Inteligência Artificial e seu impacto na competitividade”, explica a instituição.

“A Microsoft investiu mais de US$ 13 bilhões na OpenAI e foi submetida a revisões antitruste no Reino Unido e na União Europeia. Google e Amazon investiram US$ 2 bilhões e US$ 4 bilhões, respectivamente, na Anthropic [startup de IA]. A Comissão Federal de Comércio dos EUA citou as empresas de tecnologia para coletar informações, alegando que ‘não podem usar a inovação como cobertura para violar a lei’”, diz o banco de investimentos.

Integrantes da comissão criticaram as projeções das companhias para evitar a lei de fusões e a notificação às instituições antitruste, detalham no Banca March.

“O Google declarou que não tem os direitos exclusivos da Anthropic. Por sua vez, a Microsoft comentou que essas alianças promovem a concorrência e aceleram a inovação. Amazon e Anthropic evitaram fazer declarações”, acrescentam na gestora.

COMO SE POSICIONAR

No caso da Alphabet, o risco é considerado baixo. Como fatores positivos, destaca-se que possui mais caixa do que dívida em seu balanço e que o valor geralmente negocia com baixa volatilidade de preços.

Como fatores negativos, InvestingPro aponta que o RSI (sigla para Índice de Força Relativa) sugere que as ações estão em território de sobrecompra e que as operações têm um PER (sigla para Índice Preço/Lucro) alto em relação ao crescimento dos lucros a curto prazo.

Quanto à Amazon, o risco é considerado médio. Como fatores positivos, espera-se que seus lucros líquidos aumentem este ano e que o valor seja negociado com baixa volatilidade de preços.

Como fatores negativos, InvestingPro indica a negociação a um múltiplo elevado de lucros e que as operações têm um PER alto em relação ao crescimento dos lucros a curto prazo.

No caso da Microsoft, o InvestingPro considera seu risco baixo. Como fatores positivos, destaca-se que a companhia aumentou seu dividendo durante 18 anos consecutivos.

Como fatores negativos, InvestingPro aponta que o RSI sugere que as ações estão em território de sobrecompra, a negociação a um múltiplo elevado de lucros e que as operações têm um PER alto em relação ao crescimento dos lucros a curto prazo.

Com informações de Investing Brasil.

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
Big techs são investigadas por parceria com startups de IA