Esta empresa decidiu que vai demitir quase um quarto de seu quadro de funcionários. Saiba mais sobre essa reestruturação.

Em uma decisão recente, a Cruise, empresa de veículos autônomos que faz parte da General Motors, anunciou que irá enxugar sua estrutura de trabalho e demitir 24% de seus colaboradores. Isso significa que cerca de 900 funcionários da equipe, que soma 3.800 profissionais, serão desligados.

Nesse sentido, as demissões ocorrerão principalmente no segmento operacional e nas funções corporativas relacionadas. A notícia chega logo após a saída de nove executivos da companhia, incluindo o diretor de operações. Confira todos os detalhes a seguir.

Cruise, empresa ligada a GM, vai demitir funcionários

Imagem: Andrey_Popov/ shutterstock.com

O último trimestre foi marcado por uma série de conflitos que culminaram nas demissões e nas mudanças de posições na alta cúpula da empresa. Nesse contexto, destaca-se a renúncia de Kyle Vogt, presidente-executivo da Cruise, e de Dan Kan, cofundador.

Veja também:

Calendário de pagamento do BPC de 2024 é revelado; confira

A turbulência teve início com a ocorrência de um acidente ocorrido em outubro, quando uma mulher foi atingida e arrastada por um veículo da Cruise em São Francisco, nos Estados Unidos. Assim, a situação levou a uma investigação pela Administração Nacional de Tráfego e Segurança Rodoviária (NHTSA).

Como resultado, houve a suspensão da permissão de testes sem motorista por parte do governo da Califórnia. Dessa forma, todas as operações de testes da Cruise nos Estados Unidos foram interrompidas.

Interrupção na produção Cruise Origin

As consequências do acidente foram decisivas para a empresa. Após as diversas polêmicas, a Cruise decidiu pela paralisação na produção do Cruise Origin. O elétrico tinha como objetivo ofertar mobilidade sem a necessidade de um motorista.

Sobre o assunto, em entrevista concedida ao InsideEVs, um representante da General Motors declarou: “Estamos finalizando a produção de um pequeno número de veículos pré-comerciais e depois disso planejamos interromper temporariamente a produção.”

Qual o papel da General Motors nessa história?

Por fim, diante dos desafios e problemas enfrentados nos últimos meses, a General Motors se mostrou apoiadora das decisões da Cruise nesse momento de crise.

Desse modo, um porta-voz da GM disse: “Estamos confiantes na equipe e comprometidos em apoiar a Cruise à medida que eles preparam a empresa para o sucesso a longo prazo, com foco em confiança, responsabilidade e transparência”.

Imagem: Andrey_Popov/ shutterstock.com

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
Grande empresa vai demitir 24% dos funcionários; 900 trabalhadores devem perder o emprego