Instalar estações de carregamento para os carros elétricos já está cada vez mais comum em diversos locais do mundo, mas parece que o carregamento do carro elétrico de um funcionário custou sem emprego.

O caso aconteceu em Düsseldorf, na Alemanha, mas deixou muitos brasileiros curiosos quanto à real possibilidade de demissão nesses casos. Entenda!

 

Foto: FreepikCarregar o carro elétrico na empresa gera demissão? Este patrão alega que sim

Bem, como dito, toda a história aconteceu na Alemanha, durante o ano de 2022, e o caso deixou muita gente de “cabelos em pé”, além de dividir as opiniões.

Segundo as informações do Tribunal Regional do Trabalho de Düsseldorf, tudo aconteceu quando um recepcionista funcionário de um albergue estacionou seu carro elétrico em frente ao edifício da empresa.

O carro era um Volkswagen Golf, que faz parte da categoria híbrido plug-in, ou seja, que é carregado diretamente ligado à tomada.

Aparentemente, o funcionário passou um cabo de carregamento até a tomada que estava localizada em um dos corredores da empresa e carregou o carro por alguns minutos. O gasto total de energia foi de 45 centavos de euros.

 

Foto: divulgação / VWDemissão por carregar o carro elétrico chegou poucos dias depois

O funcionário já atuava na empresa desde julho de 2018, mas parece que o tempo de serviço não foi um fator determinante para o dono da empresa repensar a demissão.

Isto é, o funcionário foi demitido no dia 14 de janeiro de 2022, apenas dois dias depois do episódio. Curiosamente, a demissão não sucedeu nem mesmo um aviso prévio.

A situação não agradou muito o homem, que não hesitou em procurar as autoridades. Entretanto, de acordo com a mídia alemã, o chefe recorreu à decisão inicial, a qual as autoridades estavam do lado do funcionário.

Depois disso, a história acabou indo parar em um tribunal local. Assim, a 8ª Câmara decidiu que a cobrança indevida do veículo às custas do empregador já era um motivo de demissão por si só.

 Foto: Freepik

Desfecho é impressionante

Depois dessa conclusão, o tribunal acresceu que havia mais provas que pontuavam que apenas uma advertência teria sido suficiente para o caso, e que a demissão havia sido “desproporcional” apenas pelo carregamento do carro elétrico.

É claro que a decisão final não foi fácil, afinal, foram apenas € 0,41 (US$ 0,45/£ 0,35), mas o problema, na verdade, estava na conduta.

Por fim, o desfecho resultou em um acordo entre ambas as partes e uma “rescisão ordinária“. O trabalhador recebeu uma indenização no valor de € 8.000 (US$ 8.753/£ 6.331).

As informações são do Carscoops.

Veja também: Herói solitário: este carro é o único de sua categoria entre os mais vendidos

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
Homem é demitido após usar 45 centavos de energia para carregar carro elétrico na empresa