Estado teve uma alta de 21,7% na comparação com o mesmo período do ano passado

Entre os setores que mais registraram operações no Sudeste de fusão e aquisição está o de Tecnologia da Informação | Crédito: Adobe Stock

Das 313 fusões e aquisições de empresas que aconteceram na região Sudeste do País no terceiro trimestre deste ano, 28 ocorreram em Minas Gerais. O número só é maior em São Paulo, que no período contou com 253 transações, atingindo 62,5% do total nacional. Os dados são da pesquisa da KPMG, realizada com empresas de 43 setores da economia brasileira.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, Minas Gerais teve uma alta de 21,7%, quando foram registradas 23 transações.

Depois de Minas Gerais, segue o Rio de Janeiro com 27 transações no terceiro trimestre deste ano. O Espírito Santo teve cinco, número menor que o verificado em igual período do exercício passado (6).

Na região Sudeste, em igual comparação, o crescimento das fusões e aquisições foi de 15,4%, segundo a KPMG. No terceiro trimestre de 2022 foram registradas 271 operações na região. O número das transações no Sudeste corresponde a 77% do total de 405 operações realizadas no Brasil no terceiro trimestre deste ano.

O sócio de Mercados Regionais da KPMG no Brasil, Pietro Moschetta, ressalta que a região Sudeste teve um aumento importante no total de fusões e aquisições, atingindo um número proporcional superior à média nacional.

“São Paulo continua representando mais da metade das operações totais. Minas Gerais e Rio de Janeiro também tiveram aumento nos números e o Espírito Santo apresentou dados próximos na comparação com o período anterior”, observa.

De acordo com o levantamento da KPMG, o Brasil registrou 405 fusões e aquisições de empresas no terceiro trimestre de 2023, o que representou um aumento de 9,46% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram realizadas 370 operações desse tipo. Em todo o ano de 2023, já são 1.142 operações realizadas no País.

“Os dados evidenciam um terceiro trimestre mais aquecido que o segundo. As fusões e aquisições estão sendo gradualmente retomadas. É uma alta discreta, porém importante, a qual sinaliza que as empresas estão mais ativas nessas operações e, possivelmente, mais otimistas com a economia”, analisa o sócio da área de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil, Paulo Guilherme Coimbra.

Fusões de empresas da área de TI saltaram 132%, aponta KPMG

Na divisão setorial no Brasil, a área de tecnologia da informação registrou alta de 132%, saltando de 44 para 102 operações de fusão e aquisição de empresas, conforme pesquisa da KPMG. Já as empresas de internet apresentaram queda de 14%, passando de 121 para 104 operações.

O recuo também foi verificado para o segmento de serviços para empresas, com queda de 30%, já que a atividade saiu 33 para 23 transações, enquanto as instituições financeiras contabilizaram expansão de 16% (de 25 para 29).

Foi verificada estabilidade em telecomunicações e mídia, com 15 fusões e aquisições de empresas, conforme a KPMG. Outros setores que se destacaram foram as companhias energéticas, com retração de 6%, passando de 17 para 16 transações, além de publicidade e editoras, com elevação de 150% (quatro para 10) e produtos de engenharia, com incremento de ainda mais expressivo, de 350%, saindo duas para nove transações.

O Diário do Comércio está no WhatsApp.
Clique aqui e receba os principais conteúdos!

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
MG teve 28 fusões e aquisições de empresas no 3° tri, diz KPMG