Em um cenário de constante transformação e mudanças notáveis na mentalidade empresarial e seus impactos, as startups emergem como participantes importantíssimos no panorama empresarial. Não apenas impulsionando inovações, mas também abrindo espaço para uma abordagem vital no desenvolvimento sustentável do mundo em que vivemos – desde de seus inícios.

Como entusiasta da tecnologia, da cultura ágil e da resolução de problemas que as startups propõem, acredito que essas podem ser importantes vetores para uma mudança significativa na maneira em que o mundo empresarial trata os impactos sociais, econômicos e ambientais causados diariamente em busca da maximização de lucro.

Portanto, neste artigo olharemos mais para o papel das startups nesse cenário, desafios inúmeros e oportunidades que se apresentam. Acompanhe a leitura!

Responsabilidade com a sustentabilidade desde o início do empreendedorismo

Ao abraçar o empreendedorismo consciente desde de seu início, as startups podem ultrapassar as barreiras tradicionais e construir um negócio que transcenda a mera rentabilidade financeira. Isso segue a linha do movimento Capitalismo Consciente, que implica em considerar não apenas os interesses dos acionistas, mas também dos colaboradores, clientes, parceiros, comunidades locais e do planeta como um todo. 

Na teoria, mais simples e eficaz seria começar com essas premissas desde o lançamento de uma startup do que correr atrás da mudança depois que uma cultura já está estabelecida. Sei que não é fácil, trago o exemplo da DeÔnibus: nosso olhar para o impacto não começou desde o início da empresa, e vivemos a experiência de uma mudança cultural que pode levar anos e, no nosso caso, segue em curso para chegar no que vemos como ideal de desenvolvimento sustentável.

Como concebemos produtos e serviços mais sustentáveis?

Partindo da premissa que uma solução não deve gerar outros problemas, um grande desafio é a concepção dos produtos e serviços que oferecemos para a clientela e a consideração de todo seu ciclo de vida, desde de como são concebidos, fabricados, até serem descartados, no caso de produtos físicos. 

A sustentabilidade nas empresas deve estar em toda cadeia de produção.

A produção sustentável, a decisão sobre matéria prima, o design para a reciclagem e a reutilização de componentes são elementos-chave que contribuem para a construção de um ciclo de vida mais longo e eficiente para os produtos.

Ao estabelecer parcerias estratégicas com fornecedores comprometidos com a economia circular, as startups podem criar uma cadeia de valor justa, que minimize o desperdício e promova a sustentabilidade dentro de sua proposta de resolução de problemas para seu público.

Tecnologia como meio para gerar negócios sustentáveis

Como frase padrão de alguns artigos, gosto de trazer sempre que a tecnologia não é fim, é meio. Como grande oportunidade, ela pode e deve ser extremamente usada para atingir objetivos diversos do negócio, incluindo o desenvolvimento sustentável. Alguns exemplos de uso de tecnologia são:  

Resolução de problemas de clientes, trazendo inovação e praticidade em atividades rotineiras, como por exemplo o BP-e (Bilhete de Passagem Eletrônico) criado para evitar filas na rodoviária para retirar a passagem de ônibus, e ainda gera economia na impressão de papel;

Eficiência operacional, com automação e comandos inteligentes de processos, reduzindo consumo de recursos e minimizando desperdícios;

Economia de recursos energéticos, com soluções baseadas em energias renováveis para alimentar a operação e fazer a gestão de uso energético para otimização e economia; 

Economia circular, com soluções tecnológicas de materiais, soluções para concepção de produtos e rastreabilidade da cadeia, garantindo transparência e promovendo práticas sustentáveis; 

Operação, comunicação e colaboração, com soluções tecnológicas que facilitam a troca, engajamento e envolvimento de pessoas. 

Dados e Indicadores necessários para direcionar o caminho 

Bom, falamos bastante sobre cultura, concepção de produtos e tecnologia para o desenvolvimento sustentável de uma startup, e para fechar nada mais importante do que conseguir mensurar o caminho e resultados atingidos.

É importante que cada organização tenha clareza dos indicadores chaves que dirão se o caminho está funcionando ou se precisam de mudanças.

A DeÔnibus participa, desde 2020, da Pesquisa Humanizadas, que parte do capitalismo consciente para medir a saúde das organizações em diversos aspectos sociais, econômicos e ambientais com olhar de time, clientes, parceiros e sociedade. 

Em conclusão, o papel das startups no desenvolvimento sustentável é inegavelmente crucial. As startups, ao adotarem uma abordagem holística e consciente desde sua concepção até a mensuração de resultados e impactos, podem desempenhar um papel fundamental na transformação do cenário empresarial, promovendo a inovação sustentável e contribuindo para um futuro mais equilibrado e responsável.

Desenvolva novos conhecimentos na Udemy! 

Aprenda habilidade com especialistas reais de todo o mundo. Cursos a partir de R$ 27,90 cada até 24 de Janeiro. Escolha entre mais de 210.000 cursos em vídeo online e adquira seu favorito!

Se uma de suas metas para 2024 é adquirir novos conhecimentos, a Udemy pode ser uma grande aliada!  Com mais de 210.000 cursos em vídeo online, a plataforma garante uma diversidade de conteúdos e temas para seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
O papel das startups no desenvolvimento sustentável: desafios e oportunidades