O balanço anual de Operações do Setor Privado da Fomento Paraná, divulgado nesta segunda-feira (8), aponta um novo recorde em volume de contratos em 2023. Foram firmados 9.630 contratos referentes a R$ 205 milhões em operações de crédito liberadas para empreendimentos de 332 municípios. 

O assessor de Planejamento e Gestão Estratégica da instituição, Gustavo Mattana, afirma que é uma nova marca histórica de contratações para empreendedores informais, MEIs, micro e pequenas empresas. O número de novos contratos elevou em 12,28% a carteira de crédito privado em relação a dezembro de 2022, que chegou a R$ 489,9 milhões no mês passando, sendo R$ 185,7 milhões em microcrédito.

“O número de contratos até dezembro só perde para o número de 2020, no auge da pandemia, por conta de um programa específico para atender à demanda do contexto emergencial”, explica Mattana. “No histórico da Fomento Paraná, desconsiderando este único ano, temos hoje um número inédito de recursos injetados no setor privado em 24 anos de existência”.

Os resultados, segundo ele, são frutos de decisões estratégias e das diretrizes do governador Carlos Massa Ratinho Junior para o setor. Ele explica que a expansão das parcerias, de pouco mais de 130 municípios, em 2019, para mais de 330, fez com que o crédito fosse melhor distribuído e pulverizado, chegando na maioria das cidades paranaenses.

“A Fomento Paraná investiu fortemente na capacitação da rede de atendimento e na melhoria na entrega de recursos, levando o crédito de forma mais assertiva ao empreendedor, valorizando a imagem da empresa perante o cliente”, diz.

O assessor destaca, ainda, o programa Paraná Recupera, criado com base na Lei Estadual 20.164/2020, que vem beneficiando empreendedores de municípios atingidos por intempéries climáticas e outras situações de emergência. Até meados de dezembro, 49 munícipios tiveram decretos homologados pelo Estado e solicitaram adesão. “Os decretos permitem entregar crédito a um custo final abaixo do que de costume, uma vez que o governo subsidia uma parte destes encargos, tornando o crédito mais acessível aos clientes dos municípios atingidos”, detalha.

SETOR PRIVADO – A Fomento Paraná possui dois grandes produtos no setor privado. O principal é o Microcrédito, que abrange operações de até R$ 20 mil e atende microempresas com faturamento de até R$ 360 mil ao ano, Microempreendedores Individuais (MEIs) e empreendedores informais. Está presente em mais de 330 municípios, por meio de parcerias com as prefeituras e tem valor médio de operações em torno de R$ 10 mil.

É do microcrédito que vem o maior número de contratos e também o maior impacto de emprego e renda na sociedade. Foram 8.848 contratos até 20 de dezembro, que somam R$ 90 milhões.

No segundo grupo estão as operações acima de R$ 20 mil. Elas atendem, principalmente, propostas de capital de giro, mas financiam investimentos de reforma, ampliação, compra de equipamentos e também projetos inovação e de eficiência energética. Em 2023 foram firmados 783 contratos, somando R$ 109,3 milhões nesse segmento.

Em ambos os casos o cliente tem condições de crédito vantajosas. São valores com prazo alongado e sempre com carência, que pode ser de 12 meses ou mais, em alguns casos.

LAN HOUSE – No caso do empreendedor Sandro Silva, foram as taxas de juros baixas que chamaram a atenção. “Eu vi que as taxas de juros eram baixas, então fui atrás para saber mais”, relembra Silva, que era empregado registrado em uma empresa, mas decidiu abrir seu próprio negócio. O sonho era montar uma lan house, com computadores para oferecer acesso à internet. Ele fez um curso técnico de informática no Sebrae Paraná e deu início ao empreendimento com apenas dois computadores. Aos poucos, percebeu a necessidade de crescimento da loja, mas sem recursos próprios seria quase impossível. Ao pesquisar por empréstimos, descobriu a Fomento Paraná. Hoje está no sétimo contrato com a instituição.

“Eu usei capital de giro para comprar suprimentos de informática, materiais de papelaria, etc”, comenta o empreendedor. Para Sandro Silva, as condições da Fomento Paraná são cruciais na hora de solicitar o crédito. “Os valores das taxas ajudam e o período de carência é o melhor. Três a quatro meses dá tempo de você trabalhar com o dinheiro primeiro e depois começar a pagar”, destaca o rapaz, que aguarda a aprovação de um novo crédito para investir na fachada do estabelecimento.

Fonte: AEN

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
R$ 205 milhões: Fomento Paraná bate recorde de crédito para pequenos negócios em 2023 | CGN