Mais de 200 ciclistas se reuniram em São Paulo neste domingo (14), às 9h30, para marcar o 100º dia desde os ataques do Hamas a Israel em 7 de outubro. A concentração aconteceu no Parque do Povo, com os participantes usando camiseta branca ou azul e fitas amarelas amarradas nas bicicletas para reivindicar o retorno das 128 pessoas que continuam sequestradas pelo grupo terrorista. Entre elas está o brasileiro Michel Nisenbaum, de 59 anos. Ele foi sequestrado no dia 7 de outubro, em Sderot, no Sul de Israel, quando saiu para buscar uma neta. Pouco tempo depois, Michel já estava sob o poder de sequestradores e, desde então, não há notícias sobre seu estado de saúde.

Na manhã de 7 de outubro de 2023, integrantes do grupo terrorista palestino Hamas romperam a fronteira da Faixa de Gaza e invadiram o sul de Israel, matando mais de 1.200 civis e capturando 240 pessoas como reféns. Parte dos sequestrados foi devolvida durante o período de cessar-fogo temporário estabelecido em novembro, mas as outras 128 pessoas seguem em poder do grupo extremista, incluindo crianças, jovens e idosos.

A pedalada promovida em São Paulo pela Universidade de Haifa, a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), Organização Beit Halochem Brasil e a organização não governamental StandWithUs Brasil, também foi realizada em Brasília e no Rio de Janeiro, com o apoio da equipe profissional de ciclismo de Israel – Premier Tech, que também está apoiando eventos em Tel Aviv, Barcelona, Paris, Londres, Melbourne e Los Angeles.

Mais cedo, um grupo de ciclistas profissionais pedalou por 80 km até o Aeroporto de Guarulhos e voltou para participar da jornada. A ideia era de que todos os ciclistas compartilhassem sua participação nas redes sociais com a hashtag #RidetoBringThemHomeNow .

“A ação é para conscientizar a todos que desde o dia 7 de outubro nossos corações ainda estão sangrando. Mais de 200 reféns foram capturados. Alguns morreram, alguns foram libertados, mas nós temos 130 reféns aproximadamente nas mãos do Hamas, entre eles crianças, idosos, mulheres. Recentemente foi publicado um vídeo com quatro mulheres nas mãos dos terroristas, então o nosso objetivo é conscientizar a todos da necessidade da urgência em voltar com os reféns para Israel”, disse o presidente da Fisesp, Marcos Knobel.