Um relatório que analisa dados qualitativos e quantitativos sobre o desempenho das startups confirma um congelamento e a até redução dos investimentos no setor, destacando que, nos últimos dois anos, as startups de blockchain, em particular, arrecadaram US$ 27,85 bilhões, uma queda de 70,1% por trimestre entre o 1º trimestre de 2022 e o 3º trimestre de 2023.

Esta realidade, no entanto, é ainda mais dura quando as empresas são lideradas por mulheres que garantiram apenas 6,34% do financiamento geral. A dificuldade de obter investimento pode explicar a queda de 45,2% no número de startups de blockchain lideradas por mulheres desde o início de 2022, apesar dos sinais de recuperação, tendo em vista que a participação de startups lideradas por mulheres aumentou de 8,3%, em 2022, para 8,6% no terceiro trimestre de 2023.

Elaborado pela Bitget, uma das maiores corretoras criptomoedas e empresas de Web3, o estudo abrangeu um período de dois anos e baseou-se em dados qualitativos e quantitativos para fornecer uma visão geral clara da diferença de financiamento arrecadado por startups lideradas por homens e mulheres. O objetivo desta pesquisa foi destacar os problemas da desigualdade de gênero no setor e fornecer insights sobre suas possíveis soluções.

A equipe da Bitget baseou sua abordagem de pesquisa no período de 2022 até os três primeiros trimestres de 2023 para receber insights atualizados sobre os princípios de avaliação do mercado atual e identificar possíveis tendências.

Entre as tendências que mais afetam a disponibilidade de financiamento está o sentimento de baixa predominante, que fez com que o número de negócios caísse 61,6% em 2022, resultando em volumes de investimento menores. O valor mais baixo registrado foi US$ 1,97 bilhão e corresponde a 29,1% da alta do início de 2022.

Foi comprovado que o preconceito de gênero tem um efeito determinante nos investimentos, pois as estatísticas indicam que as startups lideradas por homens atraíram US$ 27,85 bilhões, enquanto as startups de blockchain lideradas por mulheres arrecadaram US? 1,77 bilhão, ou seja, apenas 6,34% do valor total. A participação de startups lideradas por mulheres, no entanto, teve um pequeno aumento de 8,3% em 2022 para 8,6% no terceiro trimestre de 2023.

O estudo realizado pela Bitget mostra uma clara correlação entre o gênero do fundador e os volumes de investimento, levantando questões sobre o preconceito de gênero no mercado cripto. Considerando a natureza inclusiva e global da economia baseada em blockchain, o fato de o preconceito de gênero desempenhar um papel determinante na limitação do envolvimento e das oportunidades é um fenômeno inaceitável que precisa ser abordado. Gracy Chen, a diretora administrativa da Bitget, comentou sobre os resultados do estudo:

“Como líder do setor de criptomoedas, reconhecemos nossa responsabilidade de abordar verdades incômodas e catalisar mudanças significativas. As disparidades reveladas pelo nosso estudo servem como um lembrete pungente de que devemos nos esforçar proativamente para criar um ecossistema em que o talento e o potencial sejam os únicos critérios, sem preconceitos de gênero. Continuamos comprometidos em promover um ambiente inclusivo, onde todos, independente do gênero, possam ter acesso a oportunidades iguais nesse setor transformador.”

O relatório também esclarece algumas dinâmicas importantes do setor, destacando o impacto do sentimento do investidor sobre o potencial e a viabilidade da startup com base no gênero do fundador sob a influência das condições do mercado.

Monitorado por Vejas.com.br – Link Original:
Startups de blockchain lideradas por mulheres recebem 6% dos financiamentos